Concurso Comunicação de ciência em microbiologia, Dia Internacional do Microrganismo

Divulgação de ciência: “Um descuido, uma bactéria, uma possível tristeza?”

Recordamos hoje outra das menções honrosas do primeiro concurso de comunicação em microbiologia.

Por Ana Pinto: Chlamydia trachomatis, é reconhecida como a causa mais comum de infeção bacteriana sexualmente transmitida em todo o mundo. Podendo levar ao aparecimento de diversas patologias. Porque muitas vezes basta um pequeno descuido, como a não utilização de preservativo num momento de prazer para fazer um marco na vida.

descuido

Legenda: “O microrganismo, Chlamydia trachomatis, é uma bactéria Gram-negativa, reconhecida como a causa mais comum de infeção bacteriana por transmissão sexual em todo o mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2016, foram registrados cerca de 127 milhões de novos casos. As taxas de infeções por clamídia são mais altas entre os jovens (15 – 25 anos de idade), devido a diversos fatores, como idade, novos parceiros sexuais, tipo de sexo praticado, uso inconsistente de preservativo e casos anteriores de infeção por clamídia ou outra doença sexualmente transmissível. Apesar do tratamento eficaz das infeções com antibióticos, a maioria é assintomática, não sendo desta forma tratada. A C. trachomatis, apresenta um ciclo de desenvolvimento único, composto por 2 fases – uma forma extracelular infeciosa (EB) e uma forma replicativa não infeciosa (RB) –afetando diferentes tecidos do corpo em ambos os géneros. Embora a maioria dos casos seja assintomática, a persistência da infeção, além de outros fatores biológicos, pode levar ao aparecimento de patologias como, tracoma, conjuntivite (no adulto e no recém-nascido), linfogranuloma venéreo (LGV) e infeções do trato urogenital (mais comuns). Como relatado anteriormente, as taxas de diagnóstico são mais altas em jovens, mais precisamente em mulheres, podendo as infeções ao nível urogenital resultar em graves consequências reprodutivas, incluindo dor abdominal crônica, doença inflamatória pélvica (DIP), gravidez ectópica e infertilidade. Estudos recentes indicam que 70% a 80% das infeções em mulheres são assintomáticas e estimam ainda que 5 em cada 1000 casos poderão vir a desenvolver infertilidade.”

Menção Honrosa (categoria Público em Geral) da 1º Edição do Concurso “Comunicação de ciência em microbiologia.

Autor: Ana Pinto (Escola Superior de Biotecnologia, Universidade Católica Portuguesa)